Total de visualizações de página

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Etiópia em mim.


Essa fome que mata qualquer inseto¹ idiota.
Essa fome que suga qualquer ideia de medo. (Medo da solidão?)
Fome- mofo. Eis que prefiro morrer de mofo que de fome.
A fome é falsa e ansiada por termos sociais, o mofo é a falta de vontade sob a saciedade passageira.
Ai fome. Fome de termos emocionais e anseios que se transformam em lixo orgânico.
Lixo que se decompõe em etapas...
um dia,
dois dias...
o lixo evaporou e deixou o cheiro podre que rodeia.
Rodeia.

Pessoas regurgitam vontades artificiais (Artifício²) que morrem.
Morrem tão imprazerozamente e inadimissivelmente para quem tem e para quem ganha.
Que pessoas...Que pessoas esfomiadas.
Prefiro ter em mim a alma mais seca, que aquela que tenho dito.

...Num mundo aonde se passa fome, aquele que jejua sem falar é o que me apetece.
Grande fascínio aquele que vive a vida sem esmola.
Você sabe do que eu to falando. Sabe sobre o que quero dizer.
Bem...

...É que quando se sacia a fome...
a comida não desce.
E se você vir um banquete...
Tudo isso vira enjoo.

________
¹.
insecto (ét)inseto (ét)
s. m.
1. Pequeno animal articulado, de seis patas, que respira por traqueias e sofre metamorfoses. (Os insectos!insetos caracterizam-se por terem três pares de patas, o corpo dividido em anéis e em três partes; cabeça, tronco e abdómen.)
2. Fig. Ser humano (em relação ao Ser divino).
3. Pessoa insignificante, miserável.


².
artifício
s. m.
1. Meio artificial.
2. Trabalho, indústria.
3. Perfeição, primor.
4. Astúcia; fingimento; engano.


Tudo isso vira enjoo.

Um comentário:

Daniel disse...

ta lendo muito kafka