Total de visualizações de página

domingo, 20 de março de 2011

ÊXTASEMÔMETRO















Pés afundados na areia e uma dose de de deleite vibra em pequenos espaços do meu corpo semi-frio.

Era quase como um dançar levemente

Um chorar calmo...

Um suor febril de prazer

Era quase que um gozo amoroso ou então, um embalo rítmico que só o vento traz.

Que só a areia traz

Que só a praia tem

Que SÓ o mar tem

Que só o sol mostra...

Que solitude sustentada por pele é essa, “meu deus”?

Que corpo é esse QuE

bAlAnÇa

AsSiM?

2 comentários:

Suzi Mossmann disse...

De uma sensibilidade cabalística. Extrassensorial.

Kássio Moreira disse...

já tava me esquecendo de como gosto de ler as coisas que escreve. fazia um tempo que não passava por aqui. haha